O tempo de Denis no São Paulo acabou

0
2613
Denis tentou repetir Ceni ao assumir a camisa 1 depois de anos na reserva: sem sucesso

Quinze meses se passaram desde que Rogério Ceni fez sua última partida como goleiro do São Paulo. Uma grande festa no Morumbi, ao lado de inúmeros outros nomes históricos do clube. O Mito até já retornou, para assumir o posto de técnico da equipe, mas seu vácuo permanece.

Denis se preparou por muitos anos para ser o seu substituto natural. Teve uma temporada inteira para se firmar, mas não conseguiu. Em meio a boas defesas, teve falhas importantes e nunca conseguiu passar a segurança que sua função exige. Renan Ribeiro, terceiro goleiro e que atuou várias vezes em 2015, devido a lesões dos dois superiores na hierarquia da época, agradou à torcida, mas teve pouquíssimas oportunidades desde então. Neste ano, Ceni pediu a contratação de Sidão. O novato começou com moral, defendendo pênaltis de River Plate e Corinthians na Florida Cup, mas também não passou qualquer segurança nos jogos oficiais.

Dentre os três, é consenso que deve-se dar mais tempo a Sidão, que mal pôde se ambientar ao clube ainda, da mesma forma que Renan também é merecedor de novas oportunidades. Mas a situação de Denis é muito mais complicada… O tempo que o camisa 1 passou à espera de seu momento aumentou muito a exigência sobre ele. Como Rogério Ceni em 1997, assumiu a posição de titular com a obrigação de dar certo rapidamente. Mas enquanto o futuro ídolo terminou aquele ano na seleção brasileira, o goleiro atual acabou a temporada ainda contestado. Para piorar, quando teve a chance no clássico de sábado, falhou feio em dois gols (por mais que até Ceni tenha negado falha no primeiro deles). Curiosamente, até fez uma grande defesa no segundo tempo, mantendo sua “sina” de pegar uma bola difícil em meio a falhas imperdoáveis.

O fato é que Denis não passa confiança para o torcedor e, quanto mais joga, mais parece justificar essa insegurança. Particularmente, não vejo outra solução senão buscar um novo clube para o goleiro. Denis chegou àquele estágio em que o jogador fica rotulado. Mesmo que passe alguns jogos sem comprometer, sempre terá de conviver com as cobranças e a falta de crédito, tanto por parte da torcida quanto da imprensa. Aos 29 anos, porém, está no estágio ideal para buscar uma nova trajetória com outra camisa.

No futebol, às vezes as coisas funcionam como num casamento: quando um relacionamento claramente já teve tudo o que tinha para viver, não há outra decisão correta senão colocar um ponto final e cada parte seguir a sua vida separadamente. A relação entre São Paulo FC e Denis é claramente um relacionamento que chegou ao fim. Resta apenas alguém tomar coragem para dar o passo adiante.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA