Júnior: Nome de craque, futebol promissor

0
723
Júnior Tavares, em sua apresentação pelo São Paulo Futebol Clube (Foto: globoesporte.com)

No ano de 2005, o São Paulo anunciou a contratação do pentacampeão mundial Júnior, ex-lateral esquerdo do Parma, da Itália. O jogador chegou para o lugar do bom Gustavo Nery, vendido para o Werder Bremen da Alemanha.  Júnior teve passagem brilhante pela equipe do Morumbi, sendo campeão Paulista, da Libertadores e do Mundial Interclubes em 2005 e do Tricampeonato Brasileiro em 2006, 2007 e 2008, e por isso se credenciou como um dos maiores laterais da história do clube.

Desde a saída de Júnior, em 2008, o São Paulo teve grande dificuldades em acertar com um lateral de qualidade. Júnior César e Bruno Cortez tiveram bons momentos, mas não chegaram perto do futebol apresentado pelo Pentacampeão mundial. Jorge Wagner teve muito destaque, mas muitas vezes atuava no meio campo. Portanto, pode-se dizer que há nove anos não temos um lateral que seja unanimidade na lateral esquerda, assim como Júnior foi.

No início dessa temporada, a torcida acreditava que o dono da posição seria Buffarini, que mesmo sendo destro, se destacou em duas partidas pelo Campeonato Brasileiro, contra Sport e Santa Cruz, atuando pelo lado esquerdo do campo. Logo na primeira partida, a expectativa da torcida foi correspondida pelo técnico Rogério Ceni, que escalou o argentino naquela faixa do campo. O resultado foi desastroso: o gringo cometeu diversas falhas defensivas e abriu uma brecha para Júnior Tavares, lateral que era da base do Grêmio, que estava emprestado ao Tricolor Paulista e que foi adquirido em definitivo em 2017, atuasse contra o Moto Club, pela Copa do Brasil. Júnior não só foi titular como participou da jogada que originou o gol de Gilberto, decisivo para a vitória por 1 a 0. Desde então, o jogador não saiu mais do time e vem participando muito bem dos jogos, na parte defensiva, e principalmente na parte ofensiva, com dribles e boas jogadas de profundidade. Inclusive, deu uma assistência para o gol de Lucas Pratto, no último jogo contra a equipe do São Bento.

É cedo para dizer que Júnior se tornará um grande lateral e um ídolo da história do São Paulo. O lateral é muito jovem, mas tem um futebol muito promissor e está recebendo a melhor orientação do mundo do Mito Rogério Ceni. Com a cabeça no lugar, ajudará o São Paulo a conseguir grandes vitórias nessa temporada, que podem levar a equipe do Morumbi a quebrar esse incômodo jejum de títulos. Dessa forma, o vazio deixado na lateral esquerda desde 2008 estará preenchido.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA