Com Jucilei e Pratto, time do São Paulo ganha mais ‘cara’ de Ceni

0
230

As chegadas do volante Jucilei e do atacante Lucas Pratto, anunciadas na semana passada, deixam o São Paulo convicto de que o time mudou de patamar. Além de serem dois jogadores considerados de alto nível, suas posições e características atendem necessidades apontadas pelo técnico Rogério Ceni durante o planejamento. Em outras palavras, a dupla promete deixar o time mais com com a “cara de Ceni”.

Quando sentou com a diretoria para falar sobre reforços para 2017, Rogério falou da urgência por um camisa 9 de respeito e de um primeiro volante. De preferência, ambos deveriam ter boa estatura, para melhorar a média do time, considerada baixada pelo treinador. Na mosca: Jucilei tem 1,86m de altura, e Pratto, 1,88m.

Ceni entende que o São Paulo precisa ter um time mais alto para ser mais competitivo. Em seu modo de pensar as bolas paradas, decisivas segundo ele, o time precisa ter pelo menos quatro ou cinco jogadores com boa estatura e bom de cabeça, seja na parte defensiva ou ofensiva. Pratto é um especialista em bolas aéreas, enquanto Jucilei vai bem no fundamento.

O treinador ainda não pode ensaiar uma formação com os reforços, que por razões diferentes não poderão estrear nesta quarta-feira no clássico contra o Santos. Mas, em tese, Jucilei briga por vaga com João Schmidt e Pratto, com Gilberto. Com relação ao time do último domingo, que goleou a Ponte Preta por 5 a 2, se fossem feitas essas duas alterações, com as entradas do reforços, a média de altura do Tricolor passaria de 1,80m para 1,81m. O ganho parece pequeno, mas são mais dois jogadores com força pelo alto.

Rogério Ceni está feliz com os dois reforços e não é para menos. Pratto, principalmente. Em 2015, no último ano da carreira do ex-goleiro, o argentino marcou três gols contra o São Paulo na vitória do Atlético-MG por 3 a 2 no Mineirão, pelo Campeonato Brasileiro. Foi um carrasco. Ano passado, voltou a marcar agora no Morumbi. Chega para ser o homem gol, embora Gilberto viva ótima fase, com quatro gols nos dois últimos jogos, e Chavez já tenha marcado duas vezes este ano.

Na análise de Ceni e da diretoria, o elenco está praticamente fechado. O treinador ainda gostaria de mais um jogador com características para jogar pelos lados, após a saída de David Neres, vendido ao Ajax (HOL). É possível que o clube faça esforço para atender ao desejo do treinador, mas a situação já não é mais considerada de emergência.

– O São Paulo nunca está fechado. Não existe nada programado agora. Mas, a possibilidade sempre existe – afirmou o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva.

O “novo” time de Ceni agora custa mais caro, do que os R$ 300 mil investidos no goleiro Sidão, e ressaltados pelo treinador no início do ano. Só com Pratto, foram gastos cerca de R$ 22 milhões. A responsabilidade aumenta. Mas o potencial também.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA