São Paulo vence segunda na Copinha e ganha identidade técnica e tática

0
1203
Comemoração de gol do São Paulo em Capivari (Foto: Luciano Claudino/Código 19/Estadão Conteúdo)

Tranquilidade. Acredito que o termo utilizado por mim anteriormente é perfeitamente cabível na definição do que foi a segunda partida do São Paulo na edição deste ano da Copa São Paulo de Futebol Junior. Depois de um bom jogo e uma vitória larga na estreia diante do Genus, o Tricolor voltou a vencer no grupo. Desta vez, os derrotados foram os garotos do União Barbarense, que não ofereceram competitividade em nível elevado.

A partida, truncada em seu início, marcou a sequência de destaque de alguns jogadores da base são-paulina. Frizzo, maior figura da primeira rodada do time, voltou a atuar bem e a marcar. No entanto, quem comandou a partida por parte do São Paulo foram os atacantes de lado de campo do time escalados neste jogo: Leo Natel e Caíque.

Mesmo não conseguindo balançar as redes tantas vezes quando os demais, os dois garotos, responsáveis pela armação do time pelos flancos, foram os criadores da esmagadora maioria de lances na partida. Consequentemente, também foi responsabilidade dos dois as assistências para a construção de um outro placar largo: 6 a 2.

Em termos táticos, diria que houve a consolidação das duas principais variações de sistema do técnico Jardine. Na maior parte do tempo e, principalmente no momento ofensivo, a equipe paulista se forma com uma linha de três defensores, o que gera a sustentação necessária para a flutuação dos meio campistas e pontas.

Quando está sendo atacada, em alguns momentos a equipe do São Paulo ganha um homem a mais na primeira linha a frente do goleiro. Lizieiro, atleta que atua pelo lado esquerdo, fecha junto aos outros defensores uma linha de quatro. No entanto, apesar de jogar com a camisa de número meia dúzia e fechar o lado canhoto, não é correto afirmar que jobem jogador é o lateral-esquerdo do time. Assim como não dá para apontar que os três defensores são três zagueiros.

O São Paulo de Jardine é muito bem treinado e cada vez menos pragmático. É uma equipe funcional que liga muito pouco para posicionamento. É um time maduro, que se conhece e joga de forma coletiva, apesar de ter alguns excessos de individualidade. A verdade é que esse time que disputa a Copinha é diferente do que se destacou no ano passado. O grande destaque do São Paulo nessa primeira fase que ainda está em vigor é a eficiência do conjunto. São jogadores comuns – exceção ao Militão – que juntos formam um time competitivo e capaz de brigar por uma vaga na decisão.

Detalhes da partida

São Paulo 6 x 2 União Barbarense – Arena Capivari – 5 de janeiro de 2017
Segunda rodada da Copa São Paulo de Futebol Junior

Escalações:

São Paulo: Paes, Jefferson, Militão e Rony; Pedro, Liziero e Vinicius; Leo Natel, Frizzo e Caique; Heron.

União Barbarense: Micael; Mateus Galeni, Diego Bebê, Leonardo Prock e Gabriel; Vinícius, Mateus Luvizzetto, Leandro e Renan; Rodney e Jadson.

Gols:

SP: Frizzo (2), Vinicius (2), Caique e Paulo Boia.

União: Rodney (2)

Destaques do jogo: Leo Natal e Caique.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA