Lugano diz compartilhar “código de vestiário” com Ceni: “Ele me conhece”

0
229
Lugano em treino do São Paulo nos EUA (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
Tricampeãomundial no São Paulo ao lado de Rogério Ceni, o zagueiro Diego Lugano dividiu vestiário com o ex-goleiro por mais de quatro anos no Morumbi. Ciente de que compartilha com o atual treinador a marca de ídolo no clube, o uruguaio crê que pouco mudou na relação entre os dois depois que Ceni assumiu o comando do time como técnico. Em entrevista ao “Seleção SporTV”, o defensor destacou que é um dos que menos fala com Ceni justamente em função da experiência e intimidade acumulada pela convivência no clube.

– Eu tenho sido o jogador com quem ele menos falou desde que chegou. Justamente porque ele me conhece, sabe como sou dentro do vestiário. Quando confia, não faz falta ficar falando muito (…) A gente é muito maduro, respeita muito a hierarquia, o que ficou bem claro entre ele e eu quando chegou. Ele é o meu treinador, eu sou jogador. Além disso, por termos compartilhado tantos momentos no São Paulo, por ter uma carreira muito grande, é uma obrigação para nós, moral, ter essa distância, respeito. Eu em relação a ele, e ele em relação a mim. São coisas que não precisamos nem falar. Somos experientes com certos códigos de vestiários, tem coisas que não fazem falta de falar –destacou.

Lugano também não deu importância ao fato de usar ou não a faixa de capitão quando estiver em campo – o dono do posto tem sido o zagueiro Maicon. O uruguaio afirmou que o seu respeito e sua trajetória já inspiram liderança por si só.

– Não me muda nada estar no campo com ou sem faixa, porque eu já tenho uma influência dentro do clube. Há coisas que acontecem naturalmente no clube, que são responsabilidades minhas, pela minha trajetória, ao respeito que tenho dos companheiros. Ter a faixa ou não não faz tanta diferença no vestiário, mas é uma mostra de respeito, e o código de vestiário que um jogador com trajetória, vitorioso, tem por outro jogador que também tem uma carreira e uma trajetória – disse.

Aos 36 anos, Lugano não tem dúvida, porém, de que pretende ajudar Ceni em seu primeiro ano como treinador do São Paulo. O zagueiro destacou que a vivacidade do ex-companheiro na época de goleiro pode ser vista integralmente nele na função de treinador.

– É como treinador o que era como jogador. Uma pessoa muito intensa, comprometida, fanático por futebol, que pensa isso 24h por dia. Isso não se aprender, não se estuda, é personalidade. É um perfeccionista. A perfeição que nunca se cansa no futebol, está sempre com fome, como jogador era assim. Agora como treinador já mostra que vai ser assim. Busca a perfeição que nunca chega. Obviamente que estamos tentando acertar detalhes, chamar a atenção dos meninos. Ajudar os meninos, para que ajudem a gente. Mas não tenho receita, mas como a coisa está indo, é o melhor que pode acontecer – disse.

Lugano tem contrato com o São Paulo até o meio deste ano. O Tricolor realiza há onze dias a sua pré-temporada na Flórida, no Estados Unidos, onde já disputou dois jogos-treinos, vencendo o Boca Ratón e o Sarasota. A equipe comandada por Ceni estreiano Torneio da Flórida contra o River Plate, da Argentina, nesta quinta-feira.

Por GloboEsporte.com

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA