Jogadores do São Paulo ignoram má pontaria e valorizam superioridade

0
137

Embalados pelos comentários de Rogério Ceni ainda no vestiário do estádio Al Lang, do Tampa Bay Rowdies, em St. Pettesburgh, os jogadores do São Paulo minimizaram ou praticamente ignoraram o fato da equipe não ter marcado um gol em um jogo com pelo menos dez oportunidades claras.

Após a classificação nos pênaltis sobre o River Plate para a final da Copa Flórida, a sensação de todos era de dever cumprido, já que na etapa inicial, quando teoricamente a equipe titular ficou em campo, o Tricolor amassou os argentinos em uma forte pressão, tanto quando tinha a bola quanto na hora da marcação.

“O time foi muito bem, fomos superiores durante a maior parte do tempo e conseguimos impor o nosso ritmo. Colocamos em prática tudo que foi treinado, mas infelizmente não conseguimos marcar os gols. Mas, jogamos bem com a bola no pé, marcamos em cima e conquistamos a vaga. A garotada também entrou bem, teve tranquilidade nas cobranças de pênaltis e estamos felizes por isso. Tenho certeza de que o time crescerá cada vez mais”, comentou Rodrigo Caio, seguido por Andres Chavez.

“Fomos muito superiores e fizemos um bom trabalho. Essa energia e controle de partida foram claros. No segundo tempo, eles equilibraram o jogo, mas ainda assim ficamos mais tempo no ataque e criamos chances. A classificação foi um bom início de temporada”, comentou o centroavante.

Para Breno, que recuperou seu espaço no time após jogar apenas três partidas em 2016 e passar cerca de sete meses no departamento médico, o time conseguiu colocar na prática aquilo que Rogério Ceni pediu nos treinamentos em Bradenton, na Academia IMG, onde o time fez a maior parte de sua pré-temporada.

“O time está legal, trabalhou bem a bola e criou muitas chances de fazer gols. Infelizmente não conseguimos balançar as redes, mas acontece. O jogo foi intenso, tentamos seguir as instruções do Rogério e conquistamos a vaga”, concluiu o zagueiro.

Por Gazeta Esporta

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA