Decisão Majestosa na Flórida Cup

0
377
Rogério Ceni acompanhando a partida contra o River Plate, pela Flórida Cup (Foto: Igor Castro/Florida Cup Oficial/Divulgação)

Hoje, o São Paulo enfrenta o Corinthians, seu grande rival, na decisão da Flórida Cup. O time do Parque São Jorge chegou a final após passar pelo Vasco da Gama e o Tricolor chega a grande final após vencer o argentino River Plate nas penalidades máximas.

O fato da grande final ser contra um rival, eleva demais a importância dessa competição. Para a torcida, fica a expectativa de melhorar o retrospecto ruim em clássicos nos últimos anos e de poder tirar um sarro da torcida adversária, que é sempre ótimo. Para os jogadores, a importância é ainda maior. Todos querem mostrar serviço para o treinador Rogério Ceni logo nesse inicio de temporada para já cravar uma vaga no time titular, que está bastante concorrida desde o ano passado, e nesse ano só aumentou com a contratação de novos jogadores de qualidade, como Sidão, Cícero e Wellington Nem. Entretanto, ninguém está mais ansioso do que Rogério Ceni. O treinador já tem logo de cara, em seu segundo jogo, a oportunidade de vencer uma competição com o time do seu coração. Se o Mito já estava motivado a colocar o São Paulo um degrau acima, de elevar ainda mais o patamar desse time, esse jogo só aumentará ainda mais esse grande desafio.

O que deixa a torcida muito ansiosa é ver a postura do time nesse jogo. No ano passado, a característica principal do time era a inconstância. A equipe era capaz de fazer um ou dois jogos seguidos excepcionais, de encher os olhos do torcedor e criar uma expectativa enorme de uma arrancada nas competições, principalmente no Campeonato Brasileiro. Mas de fato isso não ocorreu, tanto que em 2016 o São Paulo não foi capaz de vencer quatro jogos seguidos, e a decepção tomava conta do torcedor, principalmente por ver tantos jogadores desmotivados e desinteressados. O que o torcedor espera, não só hoje, mas também ao longo de todo esse ano, é um time como do primeiro tempo do jogo contra o River Plate, com muita movimentação, entrega e, principalmente, disciplina tática. No esquema moderno do técnico Rogério Ceni, todos tem obrigação de marcar forte o adversário, para roubar a bola rapidamente, e no ataque, com a redonda nos pés, toques rápidos e muita velocidade, para definir rapidamente as jogadas e não deixar o adversário sequer respirar. A intensidade ao longo dos 90 minutos precisa ser a característica dessa equipe.

Que o time possa corresponder em campo os ensinamentos do técnico, e que a pontaria, principalmente dos jogadores de frente, esteja mais precisa, para que o título venha para a equipe do Morumbi e o inicio do trabalho fora das quatro linhas do maior ídolo da história do clube, seja com o pé direito.

Avante meu Tricolor!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA