Análise lance a lance : Os conceitos de Ceni para o São Paulo

0
152

A estreia do maior ídolo da história do Tricolor Paulista finalmente aconteceu. O tão aguardado São Paulo de Rogério Ceni se mostrou, nos primeiros 45 minutos do amistoso contra o River, uma equipe com algumas ideias de jogo bem atuais, misturando um pouco do que o ex-goleiro já disse ter como inspiração: Sampaoli, Osorio, Bielsa…

Mas calma! As comparações acabam aqui. Ceni é Ceni. É o M1to e agora o técnico do São Paulo. E como todo técnico, possui suas próprias ideias, suas crenças e também seus defeitos. Dar tempo, saber analisar o contexto e o jogo e deixar a mitologia de um dos maiores ídolos do futebol para trás é fundamental para saber com mais clareza e fidelidade aos fatos o que será o São Paulo de 2017.

Começando pelo modelo de jogo, que é a “maneira” como Ceni pretende que o São Paulo ataque, defesa, faça as transições…esse modelo pode ter diversos esquemas. Contra o River, o time começou num 4-1-4-1, com Rodrigo Caio fazendo esse “1” entre as linhas e Luiz Araújo, Cueva, Thiago Mendes e Wellington Nem como os 4 meias atrás de Chávez.


Um dos primeiros aspectos desse modelo de jogo, que pôde ser visto ontem, foi a forma como o São Paulo inicia suas jogadas ofensivas: Rodrigo Caio se aproxima dos zagueiros e ganha a movimentação de Cueva. Com os laterais avançados, os dois tabelam, criam triangulações e fizeram o Tricolor ter muito volume de jogo, sempre com verticalidade em direção ao gol.


Poucos toques de lado, muitos passes verticais. A imagem abaixo representa como o SP atacou: os laterais tiveram aquela tradicional função de dar amplitude (fazer o campo ficar maior com dois homens abertos nas pontas). Se os lados do campo são ocupados pelos laterais, o que os pontas do 4-1-4-1 fazem? Flutuam por dentro, tabelam pra sair livre na cara do gol ou “prendem” os zagueiros indo lá na área com Chavez.


Sem a bola (e enquanto o físico dos jogadores deixou), o São Paulo mordeu. Mas mordeu mesmo, não deixando o River respirar em nenhuma parte do campo. Um jogador recebe? Então dois correm para tirar o espaço daquele cara, fazendo o adversário perder a bola, recuar pra trás ou até dar um chutão se as coisas ficarem complicadas.

São algumas primeiras ideias, apenas. O São Paulo pode mudar, e muito, com o decorrer da temporada, a possível chegada de Jucilei. Se a primeira impressão foi muito positiva, as primeiras ideias de Rogério Ceni para sua primeira equipe como treinador serão vistas ao longo dos primeiros jogos oficiais.

Por GloboEsporte.com

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA