Uma base de ouro

0
693
Rodrigo Caio, comemorando gol contra o Corinthians, em 2012 (Foto: BlogdoSãoPaulo)

Nos últimos jogos, o técnico Ricardo Gomes apostou nos garotos da base. No jogo contra o Fluminense, ousou ao colocar David Neres no ataque no segundo tempo e colocou Pedro Bortoluzo entre os 11 iniciais contra a equipe da Ponte Preta.

A decisão de apostar na base foi um pouco de jogar pra torcida e tentar garantir o emprego, que estava por um fio. No jogo do Rio de Janeiro, a derrota era praticamente certa, e esse era o desenho da partida até os 15 minutos do segundo tempo. Depois da entrada de David Neres, que deve ter escutado do treinador o famoso “entra e resolve”, o São Paulo cresceu muito e chegou à vitória. Ao final daquela partida, eram quatro jogadores da base em campo. Já no duelo contra o time Campineiro, eram cinco jogadores da base ao final do jogo, mostrando que o nosso técnico está mais do que convencido de que os garotos tem qualidade, e que eles podem formar a base do time para o restante do ano.

O questionamento principal era pelo fato do time estar atravessando um péssimo momento, tanto dentro como fora de campo. A zona de rebaixamento parecia inevitável, demissões em massa na diretoria e a torcida organizada invadindo o treino para agredir os jogadores. Mas esses garotos demonstraram personalidade nas categorias de base, vencendo praticamente todos os torneios nacionais e ganhando, inclusive, a Taça Libertadores sub-20. Portanto, mesmo não sendo no time principal, os jovens já tinham uma experiência, que aliada a inegavel qualidade, resultou na reação do time no Campeonato Brasileiro. Os méritos são principalmente dos garotos, que não se esconderam nesse momento turbulento, mas Ricardo Gomes tem sua parcela de contribuição por ter finalmente arriscado, e também a diretoria, que mantém uma boa estrutura para formação de atletas em Cotia.

A expectativa para que o clube continue subindo atletas é grande, que aliado a contratação de novos jogadores qualificados, formem a base do time para o ano que vem. Além disso, Rodrigo Caio é nosso jogador formado em casa convocado para a seleção principal, e muito provavelmente deve ser vendido por muitos milhões de euros na próxima temporada. Isso só mostra que a maior venda da história do futebol Brasileiro, a de Lucas para o PSG, não foi um acaso, que o São Paulo é uma vitrine, e que essa pode ser a saída para equalizar as contas, que não andam bem nos últimos anos.

O São Paulo precisa deixar de ser mero coadjuvante nas competições que disputa, e voltar a brigar pela ponta de cima, dando novamente muitas alegrias ao torcedor tricolor, e a base de ouro tricolor tende a ajudar cada vez mais para que isso aconteça.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA