O legado são-paulino para 2017

0
687
Maicon é o principal pilar do São Paulo para 2017 (Foto: THOMAS SANTOS/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO)

O ano do São Paulo ainda não acabou, mas já é possível fazer um pequeno balanço do que deu certo nesta temporada. Poucas, poucas coisas devem ser levadas da temporada 2016 do São Paulo para a seguinte. O aproveitamento de jogadores da base do clube e, principalmente, a reformulação do sistema defensivo são pontos bases positivos do ano futebolístico que se encerra em poucos dias.

Mesmo com todos os defeitos possíveis, o ano teve alguns pontos interessantes. Os bons números e o desempenho acima da média da defesa Tricolor, agregado ao surgimento de jovens valores vindos de Cotia partem em disparada como pilar base do São Paulo de 2017. Lyanco, Lucas Fernandes e Neres podem ser uma trinca a ser vista entre os titulares nas primeiras competições da próxima temporada.

A chegada em definitivo do zagueiro Maicon deixa o Tricolor sossegado quanto a iminente saída de Rodrigo Caio na próxima janela. O capitão Tricolor, que recentemente em entrevista falou de forma acertada que o saldo de 2016 é negativo, foi talvez a melhor coisa que aconteceu ao clube neste ano. Maicon é a certeza de que os próximos anos têm tudo para serem tranquilos no miolo de zaga, seja quem for seu parceiro de zaga.

Julio Buffarini, supervalorizado pela torcida são-paulino, chega também com condições de fortalecer a equipe nos próximos anos defensivamente. Se adaptando, o agora lateral da Seleção Argentina deve ganhar mais espaço na próxima temporada e precisará de apoio. Pelo lado esquerdo, a continuação de Mena não é certa, mas mesmo assim não pode ser comemorada. Foram sempre do lado do chileno os piores momentos defensivos do time no ano.

Contratações funcionais para algumas posições, a essencial chegada de um ou dois protagonistas técnicos, além de um espaço maior para os meninos de Cotia. Essa, ao que parece, deve ser a tônica do ano seguinte do São Paulo. Se vai dar certo ou não, ninguém pode saber. Tudo também dependerá de quem vai assumir o comando técnico. Não adianta ter bons nomes na defesa e um treinador ruim. O mesmo vale para posições no ataque. A única coisa que eu tenho certeza é de que apesar de ter sido um ano muito complicado tecnicamente para o clube paulista, alguns pontos positivos precisam de continuação. O comportamento defensivo é um deles.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA