Promessa do São Paulo rejeitou Palmeiras, salário triplicado e luvas de R$ 1 milhão no Fla

0
254

Uma das maiores promessas da base do São Paulo, Marquinhos Cipriano justificou a aposta do clube ao longo da Taça BH, quando foi campeão – com direito a goleada por 4 a 1 contra o Palmeiras na decisão -, vice-artilheiro e melhor jogador do torneio. Sucesso em campo à parte, o que pouca gente sabe é do que o jovem abriu mão para vestir a camisa tricolor.

Em 2015, o meia-atacante rejeitou propostas de Grêmio, Inter, Flamengo, Cruzeiro e Palmeiras, com valores que chegavam a ser o triplo do salário oferecido pelo São Paulo, além de luvas de R$ 1 milhão. E aceitou uma remuneração menor. Tudo para defender seu time do coração. A informação foi confirmada pelo empresário Alexis Malavolta, ligado ao Grupo Figer, de Juan Figer e Stephanie Figer, que cuida da carreira do jogador.

“Eu recebi propostas do Grêmio. O Palmeiras queria ele. Veio ainda Flamengo, Inter e Cruzeiro, e todos queriam o Marquinhos. O Júnior Chavare saiu do Grêmio e veio para o São Paulo (o dirigente deixou o Morumbi no fim de 2015 e já retornou ao Grêmio). Ele me ligou e negociamos com o São Paulo. O Marquinhos sempre foi são-paulino desde moleque e isso pesou demais na negociação. Sempre foi o desejo dele”, disse o agente ao ESPN.com.br.

Em setembro do ano passado, o São Paulo desembolsou junto ao Desportivo Brasil R$ 1 milhão por 70% do jogador, valor inferior aos rivais, inclusive.

“O Inter e o Flamengo ofereceram por meio do Grupo Sonda R$ 2 milhões à vista por 70% do passe dele. A proposta de salário era três vezes maior que a do São Paulo. Ele ia ganhar luvas de R$ 1 milhão só para assinar. O Desportivo forçou, mas mesmo assim ele não foi. Bateu o pé e não quis ir. Ele recusou qualquer dinheiro só para jogar no São Paulo”, continuou Malavolta.

Assim, o são-paulino Marquinhos Cipriano se transferiu para seu time de infância. E vem fazendo jus ao investimento. Afinal, são 20 gols nas categorias sub-17 apenas desde março de 2016, incluindo Copa do Brasil, Campeonato Paulista e agora Taça BH.

O sucesso na base já havia chamado a atenção de Arsenal e Juventus. Mais recentemente, o Atlético de Madrid também entrou na briga para contratar o jogador que marcou um dos gols na goleada por 4 a 1 contra o Palmeiras, no último domingo. Na semana passada, o meia foi convocado para uma semana de treinamentos com a seleção brasileira sub-18.

“É importante para mim ver times de fora interessados, sentei com o Atlético de Madrid, mas meu empresário disse que a decisão final é sempre minha e eu quero permanecer no São Paulo”, disse o jogador no último domingo, em entrevista ao Sportv.

Marquinhos é natural de Catanduva, mas morou em Duartina, perto de Bauru, onde jogou em escolinhas até os 13 anos de idade, quando foi parar no Desportivo Brasil, da Traffic. Contratado, mudou-se para Porto Feliz, e lá permaneceu, mesmo com propostas de Santos e São Paulo.

No Desportivo, foram quatro títulos, sendo dois na Holanda e um na Alemanha. Também venceu a Copa Ouro Sub-17, sendo artilheiro e eleito melhor jogador do torneio. As boas atuações lhe renderam a primeira convocação para a seleção no ano passado.

O jogador mora longe da família, que continuou em Bauru, mas ajuda como pode. “Ele joga para ajudar a família, o pai dele é ajudante de construção civil. Quase todo salário dele vai para os pais”, apontou o empresário do atleta.

A multa contratual de Marquinhos com o São Paulo é de 30 milhões de euros (R$ 115 milhões).

Fonte: ESPN

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA