Missão quase impossível

0
2307
Foto: Gazeta Press

Alô, nação,

Após a derrota na noite de ontem, 6, para o Atlético Nacional de Medellín por 2 a 0 no Morumbi, o São Paulo precisará vencer por 2 gols de diferença, pelo menos, no jogo de volta. Placar de 2 a 0 a nosso favor, leva a decisão para os pênaltis, acima disso (3 x 1 ou 4 x 2, por exemplo), nos coloca na final.

Enfrentar o Nacional fora de casa e sem o apoio da nossa torcida não será fácil. O São Paulo fez 22 partidas nesta temporada como visitante, somando duas vitórias, dez empates e nove derrotas. Todas as vitórias foram por 1 a 0.  Agora, o time treinado por Bauza terá de se superar e vencer por mais de 2 gols de diferença.

Já a equipe colombiana jogou cinco vezes em casa, conquistou quatro vitórias e empatou uma única vez, marcando 12 gols e sofrendo apenas dois
Pela primeira vez na história, o rival do Tricolor conseguiu na mesma competição, o feito de vencer três partidas fora de casa com adversários de diferentes países, sendo elas: contra o São Paulo (Brasil), Huracán (Argentina) e Peñarol (Uruguai).

A missão é difícil, mas não impossível! Afinal, a moeda pode cair em pé novamente, e viradas históricas é o que não falta no mundo do futebol. Quem não se lembra da partida entre Flamengo e América do México? O rubro negro entrou em campo para mais de 50 mil pessoas no Maracanã, no dia 7 de maio de 2008, em ritmo de festa.  Depois da vitória por 4 a 2 no México, a equipe carioca poderia perder por dois gols, que ainda assim se classificaria. A classificação parecia estar garantida, o problema foi que se esqueceram de avisar Salvador Cabañas, o craque fez dois gols na vitória por 3 a 0, resultado que eliminou o Flamengo.  A festa estava pronta, não?

Em 2011, uma história parecida aconteceu lá em Minas Gerias entre Cruzeiro e Once Caldas. Na época, o time da Raposa obteve a melhor campanha na fase de grupos. No jogo de ida, em Manizales, o Cruzeiro venceu por 2 a 1 e conquistou a vantagem de poder perder até por 1 a 0 em Sete Lagoas. Porém, numa atuação desastrosa na Arena do Jacaré, onde ostentava aproveitamento invejável, o time mineiro foi derrotado com dois gols na etapa final e  acabou eliminado nas oitavas de final da competição continental.

Mesmo nunca tendo que reverter uma vantagem de dois gols fora de casa, a história do nosso clube é cheia de superação. O São Paulo já passou por situações parecidas, nunca desistiu e não será agora que irá desistir.

A vitória pode acontecer, e com muito trabalho e dedicação virá. Os nossos jogadores acreditam na virada, não desistiram da classificação e precisam do nosso apoio. Somos o time da fé, e a missão não é impossível.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA