Buffarini celebra fim de ansiedade e não se preocupa com destino de Bauza

0
487

O lateral direito Julio Buffarini, enfim, foi apresentado no São Paulo. Na tarde desta sexta-feira, o argentino posou com a camisa 18 aos jornalistas antes de conceder entrevista coletiva. No bate-papo com a imprensa, o jogador ex-San Lorenzo falou de sua relação com o técnico Edgardo Bauza, com quem foi campeão da Copa Libertadores, em 2014, das aspirações no novo clube, além de revelar a ansiedade que o afligiu por conta do imbróglio de sua contratação.

Antes, porém, o diretor-executivo, Gustavo Vieira de Oliveira, comentou a chegada do novo reforço, um antigo desejo do clube. “Posso dizer que é um caso de namoro antigo, afinal o Julio é um atleta que há um ano e meio já era um desejo do São Paulo, frustrado porque não foi possível. Esse momento é aguardado há uns anos. Posso dizer que temos convicção no futebol que o Buffarini vem agregar na nossa equipe”, disse o dirigente tricolor.

O jogador passou a ser visado pelo clube do Morumbi, principalmente, pelas boas atuações em 2014, na campanha do título continental pelo San Lorenzo. Na época, o time brasileiro não conseguiu um acordo com os argentinos e, por isso, Buffarini quer retribuir a confiança dada pelo São Paulo.

“Estou muito contente de poder estar em um clube tão grande, com muita história como tem o São Paulo. Depois de tantas idas e vindas, pude ter a sorte de fechar e me apresentar a uma instituição muito, muito grande. Uma felicidade muito grande e tomara que possa me adaptar rápido para estar à altura”, celebrou o atleta de 27 anos, antes de responder se a chegada de Bauza o animou para desembarcar no Morumbi.

“Estou agradecido ao clube, porque se esforçou. Já vinha falando de meu nome antes de chegar o Patón. Depois que ele chegou, não digo que ficou mais fácil, mas ele tem confiança em mim, por tudo o que vivemos no San Lorenzo. Mas, à parte de ter a confiança do técnico, estou agradecido ao clube que confiou em mim. E tratar de entrar no campo e retribuir à confiança que me brindou”, acrescentou.

Questionado se está temeroso por uma eventual saída de Bauza para assumir a seleção argentina, Buffarini disse que vai lidar com a situação de modo natural, compreendendo o desejo de seu treinador caso seja chamado pela Associação de Futebol Argentino (AFA). Segundo o argentino, a titularidade será conquistada durante os treinos e jogos.

“Estou à margem disso, porque quem me contratou foi o São Paulo. Se ele for à seleção, ficaria muito contente, porque sei a pessoa que é, como trabalha. Se ele vai, é o sonho de qualquer treinador, e de qualquer jogador vestir a camisa do seu país. Sou consciente de que a posição se ganha treinando no dia a dia e depois nas partidas”, argumentou.

Por fim, Julio Buffarini revelou ter passado por um momento de muita ansiedade antes de ter sua vinda ao São Paulo concretizada. Isso porque sua negociação só foi registrada no programa eletrônico da Fifa no último minuto do dia 19 de julho, data de encerramento da janela de aquisições internacionais para o Brasil. A CBF, no entanto, não conseguiu concluir sua transferência a tempo, sendo bloqueada do sistema por ter ultrapassado o horário limite.

“Foi uma semana de muita ansiedade. Sempre eu perguntando a cada minuto a meu representante, se tinha saído ou não. Foi complicado porque tinha muita vontade de vir para cá. Muita gente que queria crescer, como minha família, estou muito contente, onde eu queria estar”, lembrou.

Apresentado, Buffarini agora aguarda seu nome aparecer no BID (Boletim Informativo Diário) da CBF para poder estrear com a camisa tricolor. Isso, no entanto, não deverá acontecer nesta sexta-feira, ficando indisponível para a partida contra a Chapecoense, neste domingo, às 11 horas (de Brasília), no Morumbi, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA