Bauza ‘libera’ e Centuríon deve viajar após o jogo para fechar com o Boca

0
128

Ricardo Centurión deve se despedir da torcida são-paulina na manhã deste domingo, quando será titular na vaga de Gilberto, contra a Chapecoense, às 11 horas, em um Morumbi que tem tudo para receber mais de 40 mil torcedores. Isso porque o jogador tem uma reunião agendada com os dirigentes do Boca Juniors para selar o empréstimo com validade de um ano. O atacante, inclusive, deve seguir para o aeroporto logo após o confronto da 17ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Guillermo Barros Schelotto, técnico da equipe de La Bombonera, chegou a ligar para Edgardo Bauza em busca de maiores referências do atleta. Segundo apurou a Gazeta Esportiva, Patón deu boas indicações de Centurión e foi enfático. “Se ele quiser ir, que vá”, disse o técnico tricolor ao compatriota.

Assim, Schelotto deu sinal verde ao presidente do clube, Daniel Angelici, para fechar o negócio. Angelici chegou a declarar que pretendia acertar tudo até o fim da sexta-feira, mas, Gustavo Vieira de Oliveira, diretor-executivo do São Paulo, esclareceu que as maiores pendências eram entre o jogador e o Boca. A reunião em Bueno Aires neste domingo pode acabar com a ‘novela’ e promover o anúncio oficial da transferência.

O atacante, inclusive, já tinha passagens compradas para viajar na sexta-feira, mas com a ideia do clube do Morumbi de fixar uma cláusula no contrato que lhe desse a opção de resgatar o atleta em janeiro, as tratativa emperraram. Agora, porém, as duas instituições parecem ter chegado a um acordo neste ponto, o que só deve ser revelado nas próximas horas.

O empréstimo de um ano, se concretizado, vai render 400 mil dólares (aproximadamente R$ 1,2 milhão) aos cofres do São Paulo. Após esse período, o Boca teria de desembolsar 6,4 milhões de dólares (cerca de R$ 20 milhões) para ficar com o jogador em definitivo. Em 2015, o Tricolor pagou R$ 13 milhões para tirar Centurión do Racing e assinou um contrato com validade até dezembro de 2019.

Na Argentina, há muita dúvida sobre a chegada do atacante. Além do temor pela vida agitada que Centurión levava fora de campo quando ainda atuava em seu país natal – chegou a ser fotografado com uma arma de fogo em punho – a torcida do Boca Juniors esperava um reforço de mais peso para formar dupla com Carlitos Tevez após as saídas de Lodeiro, que foi jogar nos Estados Unidos, e Andres Chavez, contratado pelo próprio São Paulo. No início do ano, os paulistas também tiraram Jonathan Calleri dos xeneizes.

  • ronaldo ferreira

    temos que tirar deles agora é o pavón,ótimo centroavante.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA