Libertadores: Contagem Regressiva, problemas e incertezas

0
657
Foto: Djalma Vassão/Gazeta Press

Desde o apito final no estádio Independência, na noite do dia 18 de maio, data do jogo de volta das quartas de final da Libertadores, onde o São Paulo confirmou a classificação para as semifinais da competição, o torcedor Tricolor conta os dias, horas, minutos e segundos para os próximos e decisivos jogos que vão definir uma vaga à final da competição Sul-americana. Quando o elenco se apresentar na próxima segunda-feira (27), faltarão exatamente dez dias para o primeiro confronto contra os colombianos do Atlético Nacional, tão esperado desde que fora definido.

Antes mesmo das partidas acontecerem, o técnico Edgardo Bauza, já sabe que não será nada fácil montar a equipe. A ideia de Patón era ter todo o elenco a disposição, porém sabe que será impossível isso acontecer. Além dos negociados Auro e Rogério, ambos transferidos para o Sport, Mena e Hudson, considerados titulares, ainda se recuperam de lesão, o segundo, capitão até se lesionar, está praticamente recuperado e pode pintar como novidade no clássico do próximo domingo (26), contra o Santos, no Pacaembu. Outros jogadores, como Wesley e Carlinhos, reservas imediatos no elenco, também se encontram em recuperação de lesão muscular e preocupam devido falta de ritmo de jogo.

Não bastasse as preocupações já existentes, o técnico Bauza ganhou um desfalque de última hora, o atacante Kelvin, lesionou a coxa esquerda na partida contra o Sport, válida pela 10º rodada do Brasileirão, na quinta-feira (23), e muito provavelmente ficará de fora do restante da Libertadores. O atacante vinha se destacando na equipe e já era titular absoluto de Patón. Seu substituto imediato, o criticado Centúrion, cumprirá o último dos três jogos de suspensão, pela expulsão contra o Toluca, no México e também está de fora. Além de todos os problemas citados, o Tricolor ainda corre o risco (e grande), de não ter Maicon, o zagueiro tem contrato de empréstimo se encerrando no próximo dia 30, e o Porto, dono de seus direitos, exige sua volta, porém a diretoria Tricolor negocia sua permanência e mostra-se otimista, embora fale pouco sobre o caso.

Se Patón, seguir o que havia previsto, poupar os titulares dez dias antes dos decisivos confrontos, o clássico contra o Santos, será a última partida daqueles que são considerados titulares. A partir de segunda-feira (27), Bauza começa a quebrar a cabeça e desenhar o time que medirá força com os colombianos. Como o próprio Patón costuma dizer em suas entrevistas: Oxalá, consigamos superar todos os problemas e garantir a classificação.

COMPARTILHAR
Artigo anterior¡Bienvenido Cueva!
Próximo artigoVeja cinco motivos para acreditar na permanência de Maicon no São Paulo
Wendell Slavinscki
Tricolor de coração, a paixão pelo São Paulo Futebol Clube foi herdada de meu Pai. Sou daqueles que gostam de uma bom papo sobre futebol, mas que se irrita fácil com rivais fanáticos, e por isso evita as discussões. Não me encaixo no time dos fanáticos, e sim no dos apaixonados. Me enche os olhos e me arrepia, ver o Morumbi lotado, numa quarta - feira de Libertadores.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA