Força máxima para o San-São!

0
577
Jogadores de São Paulo e Santos perfilados, em 2013 (Foto: Leandro Moraes/Uol)

Neste domingo, Santos e São Paulo fazem o clássico San-São no estádio Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu. Apesar do jogo ser mando do time do litoral, não acontecerá na Vila Belmiro devido a um acordo entre as duas diretorias, no qual ficou definido que as partidas entre as equipes, tanto no turno, quanto no returno do Campeonato Brasileiro, serão realizadas no estádio municipal da capital paulista.

Para este duelo, Edgardo Bauza deve escalar força máxima mais uma vez. O treinador está correto em escalar o que tem de melhor, visto que o Tricolor está completamente engasgado com o rival. A última vitória são-paulina sob os domínios do adversário pelo Campeonato Brasileiro ocorreu em 2009, em um placar emocionante por 4 a 3, com direito a gol decisivo de falta do mito Rogério Ceni. Além da necessidade de somar mais três pontos fora de casa, devido ao tropeço em casa na última rodada, diante do Sport, existe a obrigação de encerrar um tabu que perdura há sete anos.

Gol decisivo de Rogério Ceni, em 2009 (Foto: Wagner Carmo/Inovafoto/Vipcomm)
Gol decisivo de Rogério Ceni, em 2009 (Foto: Wagner Carmo/Inovafoto/Vipcomm)

Em contrapartida, existe a preocupação de parte da torcida em ocorrer mais lesões com os jogadores titulares, como aconteceu com Kelvin no último jogo. Mas não escalar o que tem de melhor pode ser uma aposta bastante arriscada, visto que não temos um elenco em que os reservas mantêm o nível dos titulares. O Santos é uma equipe muito forte, e vem embalada de uma vitória fora de casa contra o Fluminense. Além do risco de tomar uma goleada, que de certa forma desmotivaria o elenco para a sequência da competição nacional e poderia até abalar o psicológico dos atletas para a semifinal que está por vir, escalar os reservas mostraria que o Brasileirão não está entre as prioridades de Patón.

Hoje, a taça da Libertadores é, com certeza, o objetivo maior do São Paulo. No entanto, apostar todas as fichas nessa competição é de uma negligência sem tamanho. O torneio continental funciona pelo sistema de mata-mata, e do outro lado existe um adversário de altíssima qualidade. Portanto, a equipe deve se resguardar em caso de uma eliminação.

Como fator motivacional, vale recordar o último confronto entre Santos e São Paulo no estádio do Pacaembu. Em jogo válido pelo Campeonato Paulista de 1999, o Tricolor derrotou o Peixe por 2 a 1 e aumentou a série invicta diante do oponente no torneio estadual para 13 jogos. A expectativa é que o confronto de domingo não seja diferente do que aconteceu há 17 anos e que possamos comemorar mais uma vitória em cima de um rival paulista este ano.

Avante meu Tricolor!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA