Carta aberta a Juan Carlos Osorio

2
102
Sr. Juan Carlos,
Gostaria de poder lhe explicar cara a cara quão feliz estou por tê-lo em meu time. Gostaria, também, Sr. Juan Carlos, de poder lhe explicar os motivos da minha felicidade, de ter a oportunidade de um dia conhecê-lo e aproveitar esse momento para falar sobre futebol com a sua pessoa por alguns minutos. 
Saiba que sua devoção pelo trabalho é muito bem vista por mim e por outros acompanhantes desse clube gigante chamado São Paulo. Nós, aqui, estamos acostumados a isso. Tivemos dois colossos chamados Telê Santana e Muricy Ramalho, creio que o senhor já tenha ouvido falar deles. Sua área profissional, aliás, saiba, é muito mal vista pelo brasileiro. Logo, precisarás estar atento ao seu redor, aos que se dizem seus amigos e aos profissionais de imprensa. Alguns deles são volúveis, profê. Espero que o senhor esteja atento.
O motivo pelo qual lhe escrevo esta carta é simples, singelo, mas correto, assim como o senhor tem sido desde sua chegada ao Brasil. Alguém precisa ser correto com o senhor no final das contas. Gostaria de pedir-lhe perdão. Sim, perdão. Esta situação que o senhor encontrou não representa, de fato, a história do São Paulo Futebol Clube, clube mais vitorioso do futebol brasileiro e expoente da América do Sul. 
Profe, nós não somos isso. Não somos assim. Estamos. É estado por culpa de terceiros. Culpa de gente que destruiu a dignidade e o nome que zelávamos. Gostaria de dizer-lhe, Sr. Juan Carlos, que eu entendo completamente sua surpresa com a situação econômica e estrutural que encontrou no São Paulo. Nós, acompanhantes do clube, também nos surpreendemos a cada dia. 
Por causa disso tudo, acho necessário transmiti-lo todo meu sentimento de apoio e solidariedade nesse momento profissional ímpar que estás passando. Não é correto. Não foram corretos com o senhor, nem conosco, nos agrediram. Agrediram seu trabalho e as perspectivas que, como torcedor, criamos.
Mesmo com todas as adversidades, saiba que estamos juntos, fechados, confio em você. Com jogador ou sem, confio no senhor e no capitão Rogério Ceni. Acredito que os dois são competentes o suficiente para liderar o Tricolor neste último semestre do ano, mesmo que os títulos não venham. Tenho certeza que dedicação e trabalho não faltarão em nenhum momento, pois vocês dois são corretos, profissionais e gente de boa índole. Entre eles e o senhor, estou do seu lado. 
Antes de me despedir, quero agradecer-lhe pela escolha de vir ao São Paulo, mesmo com outras agremiações tendo procurado-lhe. Foi algo muito legal de sua parte. Despeço-me com desejos positivos à sua família, que logo estará no Brasil, como vens dizendo, e novamente um pedido de perdão por tudo que lhe fizeram e farão passar. O senhor, definitivamente, merece tratamento melhor, honesto, correto. Estamos juntos. Perdão por eles.
Atenciosamente, 
Sérgio Ricardo Jr.

Crédito da imagem: UOL

2 Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA