6 motivos para se fazer rodízio no elenco do São Paulo

3
102
Matheus Reis e Boschilia ganham espaço com rodízio (Foto: saopaulofc.net)

O Campeonato Brasileiro entrou naquela fase de jogos quarta e domingo na última semana. O calendário do futebol brasileiro é cruel em certos meses, com diversos jogos sem intervalo de tempo ideal, o que ocasiona uma carga física e mental excessiva e prejudicial aos jogadores. Também por causa disso, Juan Carlos Osorio optou por implantar o sistema de rodízio no elenco são-paulino. Além de visar a diminuição dos riscos físicos, durante esse texto vocês irão saber que existem outros motivos para se adotar esse sistema.

Rodízio? O que isso significa? O sistema de rodízio de jogadores atinge principalmente a equipe titular, sendo as trocas de um jogo para outro muito mais constantes do que estamos habituados. O técnico uruguaio Diego Aguirre tem feito isso no Internacional desde janeiro. A equipe, semifinalista da Libertadores, convive com altos e baixos, mas já soube colher bem os frutos dessa filosofia. 
O que aconteceu no Inter? Jovens jogadores das categorias de base do clube, antes facilmente preteridos ou descartados, começaram a jogar com mais frequência e, com isso, a ganhar consistência como jogador, chegando ao ponto de em pouco tempo tornarem-se as principais opções da posição. A filosofia de vida, como bem diz Juan Carlos, deve ser cada vez mais constante no cotidiano Tricolor a partir de agora. 
Listei 6 motivos para ser implementar o rodízio em um clube de futebol como o São Paulo;
1. Oportunidade para um grupo maior de jogadores
Sem a necessidade de se escalar sempre os mesmos 11 titulares, quase todos os atletas do grupo ganham chance de jogar e provar sua importância e capacidade de brigar por posição. Além de manter esses jogadores contentes e com ritmo de jogo, as opções crescem dependendo do rendimento dos mesmos, o que aumenta o leque de escolhas do treinador para uma escalação em um jogo muito importante.
2. Todos os principais jogadores fazem menos jogos ao final da temporada
O calendário brasileiro é absurdo, e isso todos nós já sabemos. Com a filosofia do rodízio, quase todos os principais jogadores do elenco chegam com menos jogos jogados ao final da temporada. O desgaste, com isso, com certeza diminui. O jogador, jogando 10 ou 15 jogos a menos, consegue ter um rendimento físico parelho durante mais tempo, pelo menos é isso que dizem os especialistas da área futebolística.
3. Jogadores mais velhos podem descansar
Ter jogadores mais velhos no elenco não é algo incomum. Portanto, é sempre bom pensar em uma programação diferente para esses atletas, que comumente demoram mais tempo do que os mais jovens para se recuperar de um jogo para outro, principalmente quando entramos na fase quarta e domingo. Com a aplicação do rodízio, esses atletas jogam menos e conseguem um espaço maior de tempo para a recuperação. Durante a partida, por exemplo, esse atleta poderá dar seu máximo fisicamente, pois sabe que terá o tempo de descanso adequado. Luis Fabiano é um exemplo claro dessa situação no atual elenco Tricolor.
4. Mais espaço para jogadores oriundos das categorias de base
Como citado no início, o Internacional sabe bem como essa filosofia pode ser proveitosa para os garotos da base. O espaço para eles aumenta consideravelmente. O atual elenco São Paulo tem vários jogadores formados em Cotia, como Boschilia e Matheus Reis, que demorariam muito mais tempo para jogar se não adotássemos o rodizio. 
5. Imprevisibilidade de escalação
Com as alterações constantes, se torna praticamente impossível prever a forma como a equipe entra em campo, e isso dificulta bastante a vida dos adversários, que precisarão estar muito bem preparados para enfrentar um clube com tantas possibilidades. Pode parecer bobeira, mas isso fazer diferença dentro de campo.
6. As lesões tendem a diminuir
Lesão é imprevisível, mas com menos esforço físico constante, a tendência é que as lesões ocorram em menor número. O Internacional não conseguiu se livrar delas, mas logicamente que a filosofia do rodízio diminui a chance de um atleta se lesionar por carga excessiva de jogos. 
Juan Carlos Osorio em treino do São Paulo (Foto: Mauricio Rummens)
Lógico que existem pontos negativos no rodízio, e a demora maior em conseguir entrosamento é o principal deles. Todavia, o rodízio não significa dizer que jamais o time estará entrosado. Na verdade, significa estar ciente de que esse entrosamento chegará de forma mais lenta e envolverá 14 ou 15 jogadores, não somente 11, como acontece ao se repetir uma mesma equipe sempre. Como é possível ver, até mesmo dentro dos pontos negativos é fácil encontrar algum viés bom. 
É isso. Com jogos quarta e domingo e o iminente início da Copa do Brasil para a equipe são-paulina, o rodízio parece mesmo um caminho sem volta e uma solução que precisa ser entendida e respeitada. Como disse uma vez aqui mesmo neste espaço de coluna, a chegada de Juan Carlos Osorio trouxe muitas novidades ao São Paulo e ao futebol brasileiro como um todo. Sem dúvida, considero natural que tenhamos desconfiança com tudo que nos parece estranho. No entanto, é preciso paciência e boa observação, atenção racional aos fatos. É tudo novo pra todo mundo. 
SÉRGIO RICARDO JR.

3 Comentários

  1. Faltou vc colocar q o rodizio evita as reclamações de quem ficava na reserva. Todos têm oportunidade. Agora n iremos ter pato, Luis fabiano e kardec no banco.

  2. Legal isso, embora o próprio texto deixe claro que o resultado positivo pode demorar, e a impaciência da torcida por causa dos fiascos dos últimos anos não ajuda… Mas sou favorável à ideia, desque que tambem se diminua a improvisação de jogadores fora de sua melhor posição! E, conforme defendo há três anos, que nosso ídolo maior, o Rogério, também entre no rodízio: não só para dar chance aos sucessores como para ter um rendimento realmente efetivo nos jogos que fizer.

  3. Primeiro que no Brasil ja existe o rodizio só que o Rodizio ala brasileira é horrivel e enificiente. Ou seja em partidas decisivas de libertadores, pega-se praticamente o time titular inteiro pra ficar "poupados" em casa e coloca os reservas pra jogar, sem qualquer tipo de entrosamento ou ritmo de jogo.
    Ja no rodizio europeu durante o inicio e meio da temporada se poupa um ou dois todo jogo sendo que esses começa as partidas no banco e vai dando chance pra quem esta no banco pra que no momento decisivo da temporada escala os titulares que estão inteiros fisicamente e os reservas com ritmo de jogo pra entrar nos jogos.

DEIXE UMA RESPOSTA