São Paulo tem seu pior início de Paulistão após 24 anos

0
48
O São Paulo mais uma vez amargou um resultado não positivo e
assim aumentou a seqüência negativa, chegando ao quarto jogo sem vitória (1
derrota e 3 empates), se não bastasse isso, o clube iguala uma marca de 24 anos
atrás, desde a Era Telê Santana.

Muricy Ramalho (Foto: Gazeta Esportiva)

O tricolor não tinha um rendimento tão baixo num início de
Campeonato Paulista desde 1990 após dez jogos, na época o time não conseguiu a
classificação para a fase seguinte, nem mesmo disputando uma repescagem que
continha no sistema de disputa da competição.
O time comandado pelo então “mestre” Telê Santana chegou a
décima rodada da primeira fase com 4 vitórias, 3 empates e 3 derrotas, com
apenas 10 gols marcados e 9 sofridos. Em 2014 o time coincidentemente comandado
por seu pupilo Muricy, tem a mesma campanha, só mudando a eficiência do ataque, que marcou 16 gols e piorando sua defesa, sofrendo 11 gols, abaixo o comparativo das campanhas.
CAMPANHA DO SÃO PAULO EM 1990
Jogos:
Ponte Preta 0:0 São Paulo
São Paulo 2:1 Juventus
América RP 1:0 São Paulo
São Paulo 1:0 Ituano
Catanduvense 0:1 São Paulo
São Paulo 0:0 Noroeste
Ferroviária 3:2 São Paulo
São Paulo 1:1 Botafogo RP
XV de Jaú 1:0 São Paulo
São Paulo 3:2 São Bento
CAMPANHA DO SÃO PAULO EM 2014
Jogos:
Bragantino 2:0 São Paulo
São Paulo 4:0 Mogi Mirim
São Paulo 2:1 Oeste
São Paulo 6:3 Rio Claro
Palmeiras 2:0 São Paulo
São Paulo 2:0 Paulista
Ponte Preta 2:1 São Paulo
São Paulo 0:0 Portuguesa
São Bernardo 1:1 São Paulo
São Paulo 0:0 Santos
Mas nem tudo são
lembranças negativas, para os que têm superstição pode ser um bom sinal. Já que
algumas coincidências rondam esses dois lados após 24 anos.
Telê Santana voltava a treinar o São Paulo para cravar seu
nome na história do clube, após treinar antes uma equipe paulista (Palmeiras) e
Fluminense. Já Muricy Ramalho segue o mesmo caminho, treinava o Santos e o
mesmo Fluminense. Coincidentemente os dois voltaram em momentos que o time se
encontrava perdido dentro de campo em suas duas épocas.
Raí (Foto: Revista Placar)

Indo mais além, Telê encontrou o então Raí no banco de reservas,
colocando-o para jogar e assim formando o começo daquela geração vitoriosa de
Brasileiro, Libertadores e Mundial. Já Muricy encontrou o talentoso PH Ganso
sem confiança, repetindo o roteiro de 90, mas, sabemos que até agora o Ganso pouco fez e apenas teve
lampejos do seu talento, talvez ainda esteja sem confiança necessária após suas oito lesões seguidas nos últimos anos. Independente disso, talvez resta se apegar nesse
roteiro cheios de coincidências para acreditar que dias melhores virão.

Por Diego Schnellinger (@diegolimaki)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA