Zetti e André Plihal lançam livro sobre o Mundial de 1993

0
49

Na data em que o são-paulino comemora 20 anos do segundo título Mundial, o ex-goleiro Zetti lançou “1993 – Somos Bicampeões do Mundo” (Panda Books – 136 páginas, R$ 35,90), publicação do ídolo tricolor em parceria com o jornalista André Plihal. O livro conta detalhes da conquista história do São Paulo, que bateu o Milan por 3 a 2.

Zetti e Plihal fizeram questão de contar muitas passagens de bastidores da passagem do São Paulo pelo Japão, sob o comando do mestre Telê Santana. “É superespecial fazer esse livro a quatro mãos com um cara tão especial como é o Zetti, que foi e é uma referência como atleta e um ídolo”, afirmou André Plihal.

“Não posso contar detalhes pra não estragar a surpresa do são-paulino, mas tenho certeza de que todos vão gostar do que contamos pelas histórias do Zetti”, completou o jornalista, responsável também pelas publicações “Maioridade Penal” (sobre Rogério Ceni) e “1992 – O mundo em três cores” (feita em parceria com Raí).

Zetti foi prestigiado por colegas da época daquele título, como os preparadores físicos Moraci Santana e Altair Ramos, além do dr. José Sanchez. O eterno camisa 10, Raí, que conquistou ao lado de Zetti as Libertadores de 1992 e 1993, além do Mundial de 1992, também compareceu ao evento, prestigiado ainda por membros das diretorias atual e da época.

“É uma emoção voltar no tempo e lembrar de todas as coisas que fizemos lá no Japão. Esse jogo do Milan foi muito difícil e tenso pra gente, vários aspectos podiam atrapalhar nesse jogo, como o sol. Inclusive eu tive que pintar o olho para ver se ajudava, o primeiro gol que sofri acabei sendo prejudicado com uma bola alçada na área. Enfim, lembro de todas as coisas boas, fora, é claro, da emoção de ser bicampeão do mundo”, disse o goleiro.

“Foi um time especial. Conseguimos mostrar, lá na década de 90, que tínhamos um grande poder, superando o fortíssimo time do Milan, que era um supertime – como o Ronaldão dizia, se eles eram um supertime, o que a gente era, já que bateu os caras? Valeu muito essa conquista, e todos os são-paulinos têm que comemorar. Com certeza, o garoto que tinha 10 anos naquela época e tem 30 hoje verá essa história com muito mais emoção”, finalizou.

Sinopse do livro

O ano de 1993 consagrou uma geração inesquecível de jogadores para os torcedores do São Paulo. O clube quebrou recordes, montou dois times, teve momentos de incertezas, colecionou mais títulos e se firmou novamente como o melhor do mundo ao derrotar o todo-poderoso Milan, base da Seleção Italiana que seria vice-campeã mundial no ano seguinte. Para contar essa história, o jornalista André Plihal procurou um dos protagonistas daquele time: Zetti.

Em 1993 – Somos bicampeões do mundo, o leitor conhecerá histórias de bastidores do grupo que ficou marcado como a geração mais vitoriosa do clube. Zetti pontua as diferenças das duas conquistas, como o São Paulo administrava a incrível maratona de jogos, o papel de cada um no elenco, os dramas dentro da partida contra o Milan, como se deu o momento decisivo da final, além de vários outros fatos que farão os mais jovens se fascinarem pelo time e trará boas lembranças para quem assistiu a tudo aqui no Brasil.

FONTE: SITE OFICIAL

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA