Rogério Ceni espera 2014 mais feliz e com títulos, após ‘ano carregado

0
45

Goleiro do São Paulo diz que nunca passou por situação semelhante como em 2013 e admite que não consegue deixar os problemas no clube.

Rogério Ceni, em entrevista ao ‘SporTV Repórter’
deseja ano melhor (Foto: Reprodução SporTV)

A chegada de um novo ano vem acompanhada de expectativa e muitos desejos. O goleiro Rogério Ceni revelou alguns deles e o São Paulo não podia ficar de fora dos planos do camisa 1, que decidiu estender a carreira e, aos 40 anos, renovou contrato com o Tricolor Paulista por mais um ano. Após um 2013 descrito por ele com um ano difícil, pesado, carregado e desgastante, Ceni sonha com um 2014 diferente e, especialmente melhor, com o clube na briga por títulos

– O São Paulo, pela grandeza e estrutura que tem, não pode viver uma situação parecida com o que foi 2013. Foi um ano muito desgastante, muito difícil, para se envelhecer dois, três anos vividos em seis meses, e que a gente espera não repetir. Que a gente tenha condições de ver o São Paulo jogando melhor, lutando por títulos novamente – disse, em entrevista ao “SporTV Repórter”.

Certo de que este é o desejo de todos os são-paulinos, Ceni se comparou a um torcedor ao falar de sua paixão pelo clube e afirmou nunca ter passado por algo parecidos nos 23 anos em que defendeu o time.
– A mesma paixão que eles (torcedores) têm, não por mim, mas pelo clube aonde eu jogo e, automaticamente, pelo atleta que veste a camisa do clube, é a mesma que eu tenho pelo clube em que eu trabalho. Não quero ver isso aqui mal, não quero ver isso novamente na situação como foi este ano – afirmou.

Apesar do desejo de esquecer 2013, ano em que o time chegou a sonhar com o título da Libertadores, mas foi eliminado, e chegou a correr risco de rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o goleiro sabe que não será tão fácil deixar 2013 para trás. Identificado com o clube, onde joga desde os 17 anos, Ceni admite que tem dificuldades para separar questões profissionais da vida pessoal. Para ele estar bem, é melhor que tudo também esteja bem com o São Paulo.

– Não deveria ser (assim). Talvez tenha gente que consegue separar melhor isso. Mas o trabalho tem um paralelo muito grande com o jeito de ser, com alegria, tristeza, com a expressão facial, e 2013 foi um ano muito pesado, muito carregado, muito difícil. Eu nunca havia passado por uma situação assim nesses 20 anos jogando no São Paulo – lamentou.

Além do desempenho do time em campo ter ficado abaixo do esperado (apesar da reação que impediu o clube de passar apuros na reta final do Brasileirão), o goleiro se envolveu em muitas polêmicas fora de campo, especialmente com o ex-treinador Ney Franco, que chegou a acusar o goleiro de ‘minar’ alguns jogadores e de colocar os recordes pessoais em primeiro plano. Uma sucessão de conflitos que acabaram refletindo em campo.

– Foi um ano complicado para o São Paulo e, automaticamente, para mim. Sou reflexo do meu trabalho, acho que o ser humano é cada vez mais ligado ao trabalho, em qualquer empresa que trabalhe. Quando o sucesso vem, naturalmente as outras coisas parecem que fluem melhor. Quando não alcança grandes resultados, você não é a mesma pessoa – considerou.


FONTE: GLOBOESPORTE.COM

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA