Assediado, Aloísio pede valorização para continuar no São Paulo em 2014

0
26

Aloísio virou mais uma incógnita no São Paulo para a temporada de 2014. Em alta pelas boas exibições do segundo semestre, o atacante revela que ainda não sabe se continuará no Tricolor no próximo ano. Autor de 22 gols, mesmo número de Luis Fabiano, o Boi Bandido espera receber uma valorização financeira da diretoria para ficar, já que vem sendo assediado por equipes do exterior.

– O São Paulo sabe muito bem valorizar as pessoas que ajudam e se dedicam ao clube. Estou bem tranquilo quanto a isso. Vou esperar a decisão da diretoria – afirmou.

O atacante está vinculado ao Tricolor até o fim de junho de 2014. Os direitos dele pertencem ao Tombense, de Minas Gerais, clube usado como base pelo empresário Eduardo Uram, um dos grandes parceiros do time paulistas nas últimas negociações. O Tricolor tem a opção de comprar os direitos econômicos.

Aloísio se apega aos números para subir de patamar no clube. Ele é o jogador que mais partidas fez com a camisa tricolor na temporada, superando até mesmo o goleiro Rogério Ceni. Foram 70 jogos, sendo 40 como titular.

– Certeza (que fico) eu não tenho. Ninguém tem. Tenho contrato por mais sete meses. Estou feliz e não escondo minha vontade de ficar. Mas não depende só de mim. Fiquei sabendo pela imprensa que têm algumas coisas. Temos mais um jogo, depois férias e, a princípio, me reapresento no dia 6 de janeiro com o grupo – ressaltou.

Aloísio revelou nesta quarta-feira, em entrevista no CT da Barra Funda, que recebeu uma oferta de um clube chinês durante a decisão da Recopa Sul-Americana, contra o Corinthians. O jogador, porém, pediu que o negócio não avançasse por querer contar no São Paulo. A mesma equipe estaria disposta a contratá-lo após o encerramento do Brasileirão.

– Naquele momento, achei que não era a hora de sair. A situação do time não era legal. Era uma proposta que mudaria a minha vida e da minha família. Se fiquei na primeira (oferta), espero que as pessoas reconheçam meu trabalho e a minha dedicação ao clube. É só isso que peço.

O São Paulo está precisando de reforços e não pode mandar quem está dando o “sangue” pela equipe negociando. O tricolor “pagou” um preço caro por ter liberado o Lucas. 

Fonte: GloboEsporte.com                                                                        Redator: Farlei Xavier 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA