Após morte, filho de Pedro Rocha diz que faltou carinho do São Paulo ao pai

0
44

Clube paulista chegou a custear parte das despesas com tratamento de saúde do ídolo, mas Pedrinho reclama da desatenção do Tricolor com ex-jogador

A data seria de comemoração, mas ficou marcada pela tristeza. Nesta terça-feira, amigos e familiares se despediram do ex-jogador Pedro Rocha, mesmo dia em que completaria 71 anos. O ídolo são-paulino morreu na véspera do aniversário, vítima de uma doença degenerativa, diagnosticada em 2008. Ídolo do São Paulo, ele contou com o ex-clube para custear parte do tratamento, mas a família esperava mais do que o auxílio financeiro. No velório, o filho Pedro Rocha Filho, o Pedrinho, demonstrou mágoa e reclamou de falta de atenção do Tricolor Paulista com o pai (assista ao vídeo).

– Acho que, principalmente, poderia ter dado mais carinho para o Pedro Rocha. Em momento algum nenhum diretor do São Paulo ligou para minha irmã ou para mim para saber se ele estava bem – reclamou, em entrevista ao “SporTV News”.

Uruguaio, Pedro Rocha fez história no clube paulista. Mesmo como meia, foi artilheiro, anotando 119 gols com a camisa tricolor, com a qual conquistou dois estaduais e um brasileiro. Conhecido por “El Verdugo”, ele também fez história com a camisa do Peñarol, clube onde foi campeão nacional oito vezes, e com a seleção celeste, se tornando o único jogador uruguaio a disputar quatro copas do mundo.

O uruguaio Dário Pereyra, que também defendeu o São Paulo, lamentou a morte do ex-companheiro e disse que foi Pedro Rocha quem abriu caminho para outros jogadores do Uruguai atuarem no Tricolor.
– Acho que eu, Forlán, Lugano, todo mundo que veio para o São Paulo, veio por causa dele. Ele deixou uma boa impressão, tanto tecnicamente como pessoa, pelo comportamento dentro e fora de campo – disse, considerando Pedro Rocha o melhor jogador uruguaio de todos os tempos.

Atual técnico do São Paulo e também ex-jogador, Muricy Ramalho também foi prestar as últimas homenagens ao ídolo são-paulino – o corpo foi enterrado em São Paulo, nesta terça-feira. O futebol de Pedro Rocha mereceu inúmeros elogios.

– Ele era muito técnico, não olhava para a bola, o tempo inteiro com a cabeça erguida. Também batia falta muito bem. E era um líder, um líder do bem, positivo, que passava coisas boas para nós – contou Muricy.

Em sua passagem pelo futebol brasileiro como jogador, Pedro Rocha ainda vestiu as cores do Coritiba, Palmeiras e Bangu. Como técnico, passou por diversos clubes do país, entre eles Internacional, Coritiba e Ponte Preta. Mas a maior identificação foi mesmo com o São Paulo, onde jogou de 1971 a 1977. O clube lamentou o falecimento em uma nota no site oficial.

É um grande defeito no Brasil as entidades e clubes valorizarem as pessoas depois de mortas e com o Pedro Rocha não foi diferente.

Fonte: Globo.com

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA