Após 25 anos, São Paulo revive vexame histórico no Bola de Prata

0
155

Os desempenhos vergonhosos de Corinthians, Santos e São Paulo aliados à campanha comum da Portuguesa e ao rebaixamento da Ponte Preta fizeram São Paulo repetir em 2013 o vexame pelo qual havia passado apenas uma vez na história da Bola de Prata, premiação da Revista Placar e da ESPN Brasil que contempla os melhores do Campeonato Brasileiro a cada ano.

Antes, o estado mais rico do país só ficara fora da festa em 1988, quando nenhum jogador de seus seis representantes, Corinthians, Guarani, Palmeiras, Portuguesa, Santos e São Paulo, levou qualquer troféu, da seleção ou de qualquer outra categoria. O Bahia foi o campeão naquele ano.

Em 2013, o Santos, sem Neymar, foi o melhor paulista no Nacional, acabando em sétimo, à frente de São Paulo, nono, Corinthians, décimo, Portuguesa, 12ª e que brigou contra a degola até à última rodada, e Ponte Preta, 19ª e rebaixada.

Uma vergonha ainda maior se comparado, principalmente, o poder financeiro do trio Corinthians-Santos-São Paulo ao dos quatro primeiros colocados, já que o mesmo tem patrocínios e cota de TV muito mais gordas que os de Cruzeiro, Grêmio, Atlético-PR e Botafogo.
Antes de 1988, São Paulo já havia ficado fora da seleção Bola de Prata duas vezes, em 1970 e 1987, mas não fora da festa, já que Pelé, do Santos, ganhou troféu hors concours no primeiro – algo repetido por Neymar em 2012 -, e Müller, do São Paulo, ganhou a taça de artilheiro no segundo, com dez gols.

De 1989 a 2012, jamais o estado ficou sem ter sequer um jogador no time ideal. O São Paulo, sem ninguém este ano como em 2011, é o maior campeão da Bola de Prata, com 61 troféus – cinco Bolas de Ouro, 53 de Prata e três de artilheiro.

Veja, abaixo, os ganhadores da Bola de Prata de 1988 e 2013, sem nenhum paulista

1988
Goleiro: Taffarel (Internacional)
Lateral-direito: Alfinete (Grêmio)
Zagueiro 1: Aguirregaray (Internacional)
Zagueiro 2: Pereira (Bahia)
Lateral esquerdo: Mazinho (Vasco
Volante 1: Paulo Rodrigues (Bahia)
Volante 2: Adílson Heleno (Criciúma)
Meia 1: – Bobô (Bahia)
Meia 2: Vivinho (Vasco)
Atacante 1: Zinho (Flamengo)
Atacante 2: Nilson (Internacional)

Artilheiro: Nilson (Internacional) – 15 gols
Bola de Ouro: Taffarel (Internacional

2013
Goleiro: Fábio (Cruzeiro)
Lateral direito: Mayke (Cruzeiro)
Zagueiro 1: Rodrigo (Goiás)
Zagueiro 2: Dedé (Cruzeiro)
Lateral esquerdo: Alex Telles (Grêmio)
Volante 1: Nilton (Cruzeiro)
Volante 2: Elias (Flamengo)
Meia 1: Seedorf (Botafogo)
Meia 2: Éverton Ribeiro (Cruzeiro)
Atacante 1: Diego Tardelli (Atlético-MG)
Atacante 2: Walter (Goiás)

Artilheiro: Éderson (Atlético-PR) – 21 gols
Chuteira de Ouro: Hernane (Flamengo) – 36 gols no ano
Bola de Ouro: Éverton Ribeiro (Cruzeiro)

Tudo reflete em um elenco que nos deixou muito a desejar. Que 2014 haja uma reformulação positiva tanto em campo como em premiações fora dele. 

FONTE: ESPN

Carolina Sbrici

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA