São-paulinos clamam por Muricy e Jadson minimiza

0
48
Meia reconhece erros do São Paulo na derrota por 2 a 1 para o Corinthians, no Morumbi, pela primeira final da Recopa Sul-Americana.
Torcida do São Paulo pediu a volta de Muricy
(Foto: Marcos Ribolli)
“É, Muricy. É, Muricy”. O grito que ecoou de 2006 a 2008 no Morumbi voltou a surgir, na noite desta quarta-feira, nas arquibancadas do estádio são-paulino. Após a derrota por 2 a 1 para o Corinthians (assista aos gols no vídeo), na primeira partida da decisão da Recopa Sul-Americana, a torcida tricolor não perdoou Ney Franco e cantou o nome do antigo treinador, tricampeão brasileiro pelo clube e que recentemente foi demitido do comando do Santos.
– Foi um resultado que ninguém esperava. Hoje, nossa equipe não teve uma boa atuação. Erramos muito e temos de trabalhar para acertar as coisas. A torcida está no direito dela, tem a opinião dela, e nós temos de respeitar – declarou o meia Jadson, titular na partida após participação na Copa das Confederações, com a seleção brasileira.
Ninguém da diretoria do São Paulo confirma, mas o resultado na Recopa pode definir o futuro de Ney Franco no clube. A situação do técnico tricolor não é confortável após ter caído nas oitavas de final da Libertadores e na semifinal do Campeonato Paulista, e a pressão por sua demissão aumentou com o fato de Muricy Ramalho estar livre no mercado.
Na partida desta quarta-feira, o São Paulo saiu atrás no placar logo aos 28 minutos do primeiro tempo, mas a torcida só foi ensaiar qualquer reclamação contra o treinador após o intervalo, quando Ney Franco tirou Paulo Henrique Ganso para a entrada de Aloísio. Entretanto, o gol do atacante no primeiro minuto da etapa final apagou a pressão das arquibancadas, que só voltou depois de falha de Rogério Ceni, que deixou os rivais novamente à frente no marcador.
São Paulo e Corinthians voltam a se enfrentar dia 17 de julho, pelo segundo jogo da final, no Pacaembu. Sem a regra do gol marcado fora de casa, o Tricolor depende de uma vitória simples para levar a decisão para a prorrogação, ou então de um triunfo por dois gols de diferença para ficar com a taça.

Os pedidos por Muricy revelam o desespero dos são-paulinos com o trabalho de Ney Franco, que se perdeu de vez no comando o time.

Sérgio Ricardo Jr.

FONTE: GLOBOESPORTE.COM 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA