Sem Jadson, desempenho ofensivo do São Paulo cai vertiginosamente

0
94

Fonte: UOL

O São Paulo precisará se acostumar a jogar sem Jadson. Suspenso da Libertadores por causa do terceiro cartão amarelo, o camisa 10 deve ser a falta mais sentida para a partida diante do Atlético-MG. A primeira prova de que a tarefa será árdua foi dada nesta quarta-feira, na vitória por 2 a 1 contra o União Barbarense.
Os números do Datafolha mostram que o time trocou menos da metade dos passes do que fez em média nos primeiros jogos em que o 4-4-2 foi adotado. Nesta quarta, o total foi de 173 passes certos e 39 errados.
Nos três primeiros jogos do esquema com Ganso e Jadson no meio, a média foi de 332 certos e 52 errados. No ataque, a média era de 192 e, em Santa Bárbara D’Oeste, o total chegou aos 116. Nos desarmes, o número também caiu, mas menos do que nos passes. No início do 4-4-2, a média era de 96 roubadas de bola e, desta vez, foi de 86.
Sem Jadson para armar jogo, o time também explorou bem mais os cruzamentos. Foram 24 no total contra a média de 13 normalmente. Esse quesito também explica o motivo do São Paulo ter conseguido manter o número de finalizações, mesmo com menos passes.
Tanto na média do início do 4-4-2 quanto nesta quarta-feira, o São Paulo tentou o gol por 13 vezes. Os dois gols na vitória contra o Barbarense, aliás, saíram de jogadas aéreas. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA