Reservas mostram serviço no São Paulo

0
23
Por: Sérgio Ricardo Jr. 
Maicon (Foto: Semp Toshiba, Divulgação)
Se você sabe, parabéns. Se não, bem-vindo ao clube. Eu, sinceramente, não sei qual é o time titular do São Paulo. Você sabe? Conte-me mais sobre… 
Juro não ter noção concreta para afirmar se todas essas mudanças na equipe entre um jogo e outro são positivas ou, simplesmente, excesso de teimosia. Nitidamente tínhamos, e ainda temos, jogadores acomodados na base dorsal do time são-paulino. Outros, como Osvaldo, mesmo tendo consciência de que são donos absolutos da posição, não dão brechas para dúvidas. Alguns precisam acordar. Com tantos jogadores dispostos no banco, se acomodar não me parece algo inteligente.
É elogiável a condição de praticamente todos os reservas do São Paulo, tanto física como técnica. Há muito não via reservas tão dedicados e sem frescura. Lutam nos treinamentos, e o principal, agarram todas as oportunidades que recebem. O processo de ‘Casemirização’ não parece contagioso. Só o próprio, outrora, seguiu a filosofia.
Carleto (Foto: Eduardo Viana / Lancenet)

Não estou falando em qualidade. Não temos os melhores reservas do país, mas digo sem medo de errar que temos hoje os mais intensos. Nem mesmo os tão elogiados grupos de Corinthians, Fluminense e Grêmio estão dessa forma. É uma situação diferente no São Paulo. Vocês se lembram do passado, sabem exatamente o que acontecia em outras temporadas. Até mesmo por não ser comum, entendo toda essa pressão da mídia. Lógico, o tratamento com os clubes, principalmente na cidade de São Paulo, é diferente. E não, não estou falando em esquema e coisas do tipo. Sou totalmente contra essas teorias de conspiração. São tratamentos diferentes, acontece em todos os meios, principalmente fora do futebol, se querem saber.

Não me acostumei com tantas modificações. Talvez nunca me acostume, apesar de entender os motivos. Prezo pela sequência, mas ao mesmo tempo não posso deixar de elogiar o comportamento dos atletas que lutam e merecem oportunidades. Uns com mais qualidades, outros sem tantas, alguns só com o nome. E assim vamos caminhando… Para onde? Pergunto mais uma vez. Você sabe? Conte-me mais sobre…

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO valor do jogador de futebol
Próximo artigoOnze ou vinte dois?
Sérgio Ricardo Jr.
Jornalista graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte e observador de esportes. Apenas acompanhar futebol nunca me foi suficiente, então decidi escrever e estudar sobre o jogo. Admiro a Premier League e o Chelsea, mas eu gosto mesmo é de respirar São Paulo Futebol Clube.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA