Willian José: renovar ou dispensar?

0
48

Por: Sérgio Ricardo Jr


Foto: Eduardo Viana / Lancepress

No São Paulo desde a temporada 2011, Willian José nunca deixou o banco de reservas. Em sua maior sequência de jogos, no início desta temporada, onde foi decisivo durante a primeira parte do Campeonato Paulista, salvando o time por várias vezes, deixou uma dúvida na cabeça dos torcedores e da diretoria: merece ter o contrato renovado? Entretanto, o camisa 19 do tricolor não conseguiu outra sequência de jogos que tivera no começo da temporada e hoje, atuando somente por alguns minutos durante raras oportunidades, parece ter selado sua não renovação e iminente saída do São Paulo.

Analisando friamente, sem o olhar de torcedor, Willian é um garoto de potencial. As características dele dizem isso: alto, forte fisicamente, com bom chute e posicionamento. Peca, geralmente, pelo nervosismo que o torna afobado, o que é natural em um jogador que precisa mostrar serviço em toda oportunidade — ou mini oportunidade — que tem. A torcida, impaciente e jogando contra como sempre, prejudica o atleta e o clube quando vaia um garoto antes mesmo do jogador tocar na bola. Apesar de ter perdido espaço para Cícero e Ademilson, não vejo Willian inferior, pelo contrário. Jogador só rende se jogar, não é justo usar os 10 minutos finais de um jogo decidido, ou até mesmo uma partida ruim como parâmetro para julgar a qualidade de um jogador.

Não vejo, pelo menos não no momento, vontade e possibilidade real da diretoria do São Paulo renovar com o tímido centroavante. Afinal, já contrataram mais um jogador do famoso empresário Eduardo Uram, desta vez foi o atacante do Figueirense Aloísio, nome certo na próxima temporada. Teoricamente, vem ocupar a vaga de Willian José no elenco. As características são diferentes, tem sim espaço para ambos no grupo. Como disse, a diretoria não vê assim e Willian é carta fora do baralho, aparentemente.

Quem acompanha o futebol em geral, não só o São Paulo, sabe que jogadores jovens com características de centroavante no estilo Fred, Luis Fabiano, Barcos, dentre outros, são raros. Tão raros que dificilmente enumeramos mais de três hoje em dia. Temos um no elenco e estamos simplesmente nos desfazendo, desistindo. Não desistiria de um jogador que pode ser o diferencial num futuro cada vez mais próximo. A melhor solução seria a renovação e um empréstimo. Garanto que não faltam clubes para Willian. Muitos times já sofrem com a falta de atacantes, Willian resolveria o problema de todos eles. Emprestem e observem, deixem o garoto ter novamente a sequência que um dia já teve e rendeu no São Paulo em outro lugar. Acho precipitado desistir do jogador e simplesmente dispensar. O barato, nesses casos, geralmente sai caro.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA