Saga – Com o tricolor onde ele estiver: Recife

0
68
Foto: Vinicius Marcelo

Caros tricolores,

Nesta segunda o assunto da coluna vai além das 4 linhas. Trata-se de uma experiência, no caso a maior que já tive, de acompanhar o São Paulo fora de casa.

Uma viagem feita na loucura mesmo. Voo saindo de Guarulhos às 03h30 da manhã, para chegar em Recife às 05h30 (lá não existe horário de verão). Sem hotel, sem conhecer a cidade e, inclusive, sem ingresso.

O jeito foi aproveitar a maravilhosa praia de Boa Viagem até às 8h30, quando meu amigo e eu saímos em direção à Ilha do Retiro para comprar os ingressos.

Bilheteria prevista para abrir às 9h, quando teoricamente chegaria um novo lote de ingressos. Mas não foi isso que aconteceu. Muita desinformação, o tempo foi passando e a preocupação de ficar sem ingressos aumentou. Acabamos comprando de cambistas. Apesar de errado, o medo de ter viajado 2.500 Km e não poder assistir ao jogo foi maior.

Pois bem, ingressos garantidos, retornamos à praia, desta vez a Praia do Pina, a mais próxima da Ilha do Retiro. Outro lugar absolutamente espetacular, no qual ficamos por mais quase 4 horas, quando decidimos partir para o estádio.

Já muitos torcedores do Sport a caminho. Eles tem uma torcida fanática e que se junta ao time nos momentos mais difíceis. Era possível ver tricolores andando em meio a rubro-negros sem nenhum problema, tudo tranquilamente.

Foto: Vinicius Marcelo

Chegamos a parte da torcida visitante. Mesmo com uma mochila carregando quase que um armário inteiro, passamos rapidamente pela revista e entramos no estádio. A Ilha do Retiro tem um aspecto antigo, porém simpático. A parte do torcedor visitante não tem uma visão espetacular, mas lá o que importava era o espírito de jogo.

Apesar de muita pressão da torcida do Sport no começo, o São Paulo venceu e muito bem. Voltamos felizes demais após a liberação da polícia, que segurou alguns minutos após o término da partida. Então retornamos à região de Boa Viagem, paramos para um rápido lanche e partimos para o Aeroporto de Guararapes.

Foto: Vinicius Marcelo

Nosso voo sairia por volta de 01h da manhã, mas como chegamos cedo, tivemos nossa partida antecipada para o voo das 23h. Eis que neste voo também estava a delegação do São Paulo.

Confesso que fiquei emocionado, especialmente quando tive a oportunidade de trocar uma palavrinha com o M1TO, que, ao contrário do que muitos dizem, é uma pessoa sensacional. Foi muito simpático, brincalhão, e respondeu à pergunta que fiz a ele.

Questionei se ele já estaria em processo de renovação com o São Paulo, e ele respondeu: “Calma, calma, ainda tem muito tempo pela frente”.

Esperamos que esse tempo sirva pra convencer Rogério a jogar pelo menos por mais uma temporada no Morumbi.

Esse foi o capítulo derradeiro de uma experiência inesquecível. Porque nada pode proporcionar emoções como essas a não ser o São Paulo Futebol Clube.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA