Parabéns, Careca! 52 anos do eterno artilheiro tricolor

0
103

Alguns dias após a inauguração do Morumbi, nascia em Araraquara, interior de São Paulo, em 5 de outubro de 1960, Antonio de Oliveira Filho, ou simplesmente Careca. Ele que seria um dos maiores centroavantes da história do São Paulo.

Careca começou a carreira de jogador no Guarani, de Campinas. Logo já mostrou a que veio e, no seu primeiro ano com a camisa bugrina, foi campeão brasileiro na histórica final contra o Palmeiras. Ele fez o gol do Guarani na vitória por 1 a 0 no Morumbi. Um prenúncio de sucesso no local que o consagraria anos mais tarde.

Chegou ao São Paulo em 1983, para substituir Serginho Chulapa, quando se recuperava de uma contusão que o havia tirado da Copa do Mundo de 82. Estava em baixa no Guarani na época, para muitos visto como “bananeira que já deu cacho”. Entretanto, o tricolor acreditou que o garoto do interior ainda tinha muita lenha pra queimar.

Seu início no São Paulo foi marcando gol. Ele deixou sua marca na partida contra o América de Natal, na vitória por 4 a 0 no Morumbi. Apesar do começo goleador, ele não teve vida fácil nos primeiros tempos de casa.

Em 1985, pode comemorar seu primeiro título vestindo o manto sagrado. Foi o Campeonato Paulista. Além de ter levantado a taça, Careca foi ainda artilheiro do torneio com 23 gols. Na época, fazia o ataque dos sonhos com Muller, que foi o vice-artilheiro do certame. Na final a vítima foi a Portuguesa, que perdeu os dois jogos: 2 a 1 e 3 a 1.

Mas o melhor de sua trajetória no tricolor ainda estava por vir. O ano era 1986 e o campeonato era o Brasileirão. Careca fez história. Dois momentos dele serão lembrados eternamente pelos são-paulinos que viveram aquilo. O primeiro foi no confronto contra o Fluminense, nas quartas de final, que aconteceu em fevereiro de 87.

O São Paulo foi derrotado na primeira partida por 1 a 0, no Maracanã. Uma vitória simples no Morumbi classificaria o tricolor. Mas o jogo foi difícil, tenso, o gol não saía. Eis que, já na parte final da partida, Careca tirou o grito de gol que estava entalado na garganta dos tricolores paulistas presentes no estádio. Em um lance de gênio, ele recebeu a bola de uma lateral cobrada por Nelsinho, girou pra cima do zagueiro e soltou a pancada, que bateu no travessão e na trave antes de fazer o Morumbi explodir. Veja essa obra de arte e a história do jogo, que acabou 2 a 0 (Muller fechou o placar), no vídeo abaixo.

Se as quartas já foram um teste pra cardíaco e decidida por Careca, os tricolores mal poderiam esperar pela final, diante do Guarani. Depois do empate por 1 a 1 no Morumbi, os dois fizeram uma das finais mais espetaculares da história do Brasileirão.

Treze minutos do segundo tempo da prorrogação. O Guarani vencia por 3 a 2 e sua torcida já cantava a vitória. No desespero, Wagner  lançou na direção da área adversária. Pita desviou de cabeça e ela pingou na frente dele. Quis o destino que seu momento mais glorioso na carreira acontecesse no estádio em que começou, contra seu time de origem. Careca encheu o pé e estufou as redes do Brinco de Ouro. Gol que levou para a disputa de pênaltis, em que o São Paulo venceu e levou sua segunda taça nacional. Veja o gol histórico de Careca abaixo:

Careca terminou o Brasileirão de 86 como artilheiro, e ainda teve tempo de ser campeão paulista em 1987, antes de se transferir para o Napoli, onde foi campeão italiano, da Copa da Uefa e atuou com Maradona. Segundo “El Pibe”, Careca foi o maior companheiro de ataque que ele teve na carreira.

Foram 191 jogos disputados com a camisa do São Paulo e 115 gols marcados. Pra você que não teve oportunidade de ver um dos maiores centroavantes da história do futebol brasileiro jogar, ou pra você que viu e quer matar as saudades, abaixo segue um vídeo com os tentos de Careca com o manto tricolor.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA