Evolução do São Paulo em Recife

0
44

O torcedor Fernando Julio escreve um breve resumo das duas últimas partidas do SPFC. Acompanhe e deixe seus comentários sobre a evolução do time no jogo de quarta e o de sábado.

Terra

São Paulo x LDU de Loja

O São Paulo jogou no esquema 1-4-2-3-1. A única mudança foi a entrada do jovem Ademilson no lugar do experiente Luis Fabiano. É importante ressaltar a juventude ou a experiência, afinal não podemos cobrar do jovem, aquilo que o experiente já sabe fazer, afinal é experiente por isso. Já foi jovem também.

Aos otimistas de plantão, se acalmem. O tricolor vem jogando muito bem, e sim, é esse o esquema, é essa a tática! Mas se acalmem, há muito a ser feito. O tricolor jogou mal diante de um adversário extremamente fraco. Não se atribui o “mal” pela distribuição do jogo, criação, marcação, nem nada disso. Jogamos mal por não ter arriscado mais ao gol. Por descuidar daquele último detalhe, se não o mais importante dos detalhes: o gol! Não vejo problema em ficar tocando a bola, afinal o Barcelona faz isso, e é admirado por todo o mundo. Não há comparações. Mas é importante dentro do esquema do Tricolor, que toquemos a bola sim. Porém, creio que nessa partida contra a LDU de Loja do Equador, faltou um pouco mais de movimentação na frente, e o famoso chute ao gol. Aos pessimistas de plantão, se acalmem. O São Paulo vem muito bem, e partidas assim ocorrem com qualquer equipe, seja ela qual for. O esquema é esse, com Oswaldo e Lucas infernizando pelas pontas, Jadson servindo, Denílson e Wellington mordendo, e a defesa fazendo o que se espera dela. Paulo Mirando esta um monstro. Pelo que vem jogando, e mais ainda por tudo o que superou dentro do próprio São Paulo, afinal não é fácil.

Importante destacar o 1 no começo do esquema, porque sim, Rogério Ceni joga no esquema. É o único clube em que o goleiro joga no esquema. Não parte do clube, nem dos jogadores, nem do técnico os atritos. Partem de alguns meio da imprensa, que só querem vender, seja como for. O pedido de alteração que o Mito propôs, e a recusa de Ney Franco são coisas do jogo. O Mito é um líder EM CAMPO, e Ney é um FORA DELE. Não é válido pegar um trecho de uma entrevista do Ney, e apontar que ele esta bravo ou não esta bravo. O importante é que se NÓS não nos desestabilizarmos, que ninguém de fora o faça.

Aos tricolores de coração, NÓS… Tudo normal. Achei que 15 mil não é um número digno do tamanho que o Tricolor tem, nem do tamanho que o Morumbi tem, nem da importância que o jogo tinha, afinal é uma competição que não saímos campeão ainda, e que da vaga para a Libertadores. Não somos de renegar competição alguma. Aos que foram, foi muito bom, como sempre. Fomos a nossa casa, nos sentimos em casa e vamos estar com o São Paulo, aonde for, seja como ele estiver. Afinal de contas, se não a minha casa, para onde eu iria?

São Paulo x Sport

A batalha ia ser difícil, afinal jogar na Ilha do Retiro sempre é difícil. Não pelo momento vivido pelo rival, mas pelo desenho e atmosfera do estádio. Verdade que o Tricolor tinha que apagar o jogo ruim de quarta feira, mas não imaginava que seria dessa maneira, avassaladora. O esquema foi mudado devido às ausências de Jadson e Oswaldo, importantes na equipe. Ney armou no 1-3-5-2, com Paulo Mirando de zagueiro, e Douglas na lateral. No meio colocou Maicon. Porém o início de partida não foi dos melhores, e o Tricolor saiu atrás no placar. Por pouco tempo…  Ney reposicionou a equipe, voltou o Paulo Miranda para a lateral, e Douglas foi jogar no meio. Não precisa dizer mais nada. O São Paulo empatou com Lucas, um menino humilde, com cabeça boa, que vai deixar o Tricolor, e vai deixar saudades, muitas! Lucas marcou um golaço de fora da área. Não contente, marcou o segundo, da virada, em falha do goleiro do Sport. Cortez ainda marcou o terceiro, ainda no primeiro tempo. Na segunda etapa, ele, Lucas, marcou o quarto do Tricolor e terceiro na partida! O Sport ainda diminuiu com o velho conhecido Hugo, mas não importava… o São Paulo cresceu ainda mais no Brasileirão, e segue vivo na Sul- Americana. Não há crise! Há uma família unida, como há anos não se via. Ingredientes de equipes históricas, não pelos títulos, e sim por que são lembradas por algo especial que carregam, algo que o Tricolor de hoje tem, seja lá o que for.
Que venha a Universidad de Chile (La U) e o Fluminense… Não temos medo de ninguém. Eles sim temem o Tricolor Paulista! Porque quando a gente cresce… Ninguém segura.
Fernando.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA